Há pouco mais de 2 meses inaugurou no Jardim Botânico o Didier. O restaurante, do chef Didier Labbé, que trabalhou no grupo Troigos por 10 anos, ocupa hoje o espaço que antes era do CT Trattorie.

A ideia do restaurante é trazer um bistrô tipicamente te francês, com um mix de comida simples com toque autoral e muitos alimentos frescos, a preços acessíveis.

Acho que ele conseguiu quase tudo que planejou. Os preços acessíveis são meio discutíveis, mas tudo bem. Assunto que vamos conversar mais pra frente.

Começamos com um couvert e duas entradas sugeridas pelo garçon: polenta mole com palmito trufado e ovo pochê com aspargos e crocante de Parma. A polenta estava deliciosa. O ovo era ok.

De principal pedimos quatro pratos diferentes. Um penne com ragu, cogumelos e bacon que estava surreal de gostoso. Um risoto de queijo minas com palmito pupunha e crocante de couve, bem gostoso. Um risoto de camarão, também gostoso. E um filé de costela, com batatas assadas e cogumelos cardoncelos, que também estava muuuuuito bom.

Para sobremesa pedimos um creme brule, especialidade da casa. Delicioso! Só senti falta de experimentar o profiteroles, a minha sobremesa preferida da vida. Mas eu volto lá pra isso!

No geral achamos tudo bem gostoso, mas longe de ter um preço acessível. Tem preço padrão de um restaurante de alto nível no Rio de Janeiro. Esse jantar com água e vinho saiu a mais ou menos R$600 para 4 pessoas. Não é caro, mas na minha opinião não é acessível também.

Ainda assim acho que vale muito a visita. O toque (fofo) final foi a visita do próprio chef na nossa mesa perguntando se estava tudo bem, se estávamos gostando da comida… esse toque pessoal faz toda a diferença é é de uma gentileza enorme. Curti!

Didier

Rua Alexandre Ferreira, 66 – Jardim Botânico

(21) 3264-7960 – aceita reserva.

Sei que esse post tem absolutamente tudo para ser parcial mas eu juro que não vai ser. Vou analisar cada um dos lugares da forma mais imparcial possível afinal, são duas cachoeiras lindas, dois passeios super turísticos e duas das maiores cataratas do mundo. Então, porque não?! No final de tudo você vão saber a minha opinião sobre cada uma delas e quem é a grande vencedora.

Se você quiser saber mais sobre cada um desses destinos é só clicar aqui no nome deles:

Foz do Iguaçu | Niagara Falls

Agora vamos começar as analises e comparações para ajudar você a decidir qual catarata visitar na sua próxima viagem.

Para chegar: As duas são similares nesse ponto. Enquanto para a brasileira você voa para Foz do Iguaçu e de lá consegue visitar a Catarata tanto do lado argentino quanto do lado brasileiro, na canadense você voa para Toronto (ou NY) e faz uma pequena viagem de carro até o local. Super tranquilo de chegar nas duas, porém, chegar na brasileira é mais rápido apenas porque tem vôo direto até a cidade exata da Catarata. Ainda assim considero empate nesse quesito.

Foz do Iguaçu vista do alto na foto do blog Viajo com Filhos.

Niagara na foto que eu fiz no passeio de Helicóptero

A catarata: O dimensão das duas catataras é assustadora, mas as Cataratas do Iguaçu são muito grandiosas e consequentemente muito maiores que Niagara Falls. Ao todo são 275 quedas d´água na Catarata brasileira/argentina, entre elas a famosa garganta do diabo, enquanto na americana/canadense são apenas 3.

Organização: As duas são muito bem organizadas. Foz tem natureza de todos os lados, por isso fica dentro de parques nacionais, tanto do lado brasileiro, quanto do lado argentino. Niagara Falls fica no meio da rua no Canadá. Nesse quesito considero elas empatadas.

Uma das ruazinhas que chegam a principal rua onde fica a Catarata de Niágara

Na catarata brasileira o entorno é de natureza por todos os lados.

Entorno: Como Niagara fica no meio da rua (literalmente) o entorno é lotado de hoteis, cassinos e atrações para os turistas que quiserem dormir por ali algumas noites. Já no catarata brasileira o entorno é de natureza. O acesso de ambos os lados é feito por Parques Nacionais, por isso, no entorno não tem muita coisa. Ponto para a Canadense.

Estrutura Turística: Sem dúvidas a brasileira oferece muito mais estrutura turística do que a canadense. Exatamente por ficar dentro de um parque nacional você tem muito mais assistência e “organização” para visitar a Catarata. A canadense tem um centro de informações turisticas e nada mais. Ponto pro Brasil.

Restaurantes: Nessa a canadense da uma lavada. Enquanto na brasileira você tem apenas 1 restaurante aberto ao público dentro do parque nacional e algumas lanchonetes e pequenos restaurantes no lado argentino do parque, a canadense tem mil opções para todos os gostos e bolsos. Por ficar no meio da rua, muitos restaurantes viram uma oportunidade ali e abriram filiais para arrebanhar turistas e conseguiram.

Beleza: Isso até pode ser meio pessoal, mas não dá para comparar a beleza das Cataratas do Iguaçu com Niagara Falls. Iguaçu dá um banho em Niagara. Realmente não tem comparação. A Catarata brasileira está no meio da natureza, de uma reserva nacional, um parque com animais selvagens… suas (muitas) quedas fazem daquela visão uma das coisas mais lindas que você pode pensar que a natureza pode fazer. Incrível! Niagara Falls é muito lindo também, principalmente a cor da água que é um tom de verde inacreditável. Mas as quedas são poucas, ela é mais baixa e o entorno “cinza” quebra um pouco o encanto do lugar.

Preço: Enquanto para ver a Catarata do Iguaçu você precisa pagar duas vezes, tanto do lado brasileiro (R$38,30) quanto do argentino (R$90 aproximadamente), para ver Niagara Falls, basta você passar de carro pela rua em frente. É simples assim.

O passeio de helicóptero deve ser lindo nas duas Cataratas, eu fiz em Niagara.Em Foz do Iguaçu, o Macuco Safari, passeio qeu vai embaixo da queda d´água é imperdível.

Programas envolvendo a catarata: Acho que as duas são bem parecidas nisso. As duas tem passeio de helicóptero, as duas tem passeio de barco (a brasileira é um pouco mais radical e divertido, mas a canadense tem muito mais opção), na brasileira você tem várias trilhas para ver a catarata de diversos angulos, enquanto na canadense você pode passar atrás da maior queda d´água… ou seja, empate técnico.

Programa/Viagem como um todo: Sem dúvidas a brasileira ganha. Em geral, para visitar Niagara Falls você precisa de uma manhã e nada mais. Já para visitar as Cataratas do Iguaçu você precisa pelo menos de 2 dias inteiros. Sem falar que em Foz do Iguaçu tem outros mil programas para quem já está por ali, enquanto em Niagara Falls, no máximo você vai a Niagara on the Lake e pode cruzar para o lado americano se quiser.

Depois de tudo isso dito, de forma muito imparcial inclusive, acho que já temos uma vencedora né? Pessoalmente, achei a visita as Cataratas de Niagara muuuuito mais legais do Niagara Falls. Pela beleza, pelo programa em si, pelos extras que a viagem inclui e etc.

Mas isso não significa que Niagara não vale a pena, pelo contrário. Acho que se você está por ali em NY ou Toronto, tem que ir conhecer. Afinal, ela, assim como a brasileira são as maiores Cataratas do mundo e são Patrimônio da Humanidade. Ou seja, as duas merecem sua visita e surra de fotos.

No último final de semana aproveitamos o tempo meio nublado para conhecer um novo restaurante no Rio, o recém-inaugurado SAL, do chef e jurado do Masterchef Henrique Fogaça. A ideia do restaurante é apresentar uma comida contemporânea brasileira, mas com aquele toque de comida de chef. E é exatamente isso que ele faz.

Cheguei beeeem cedo no restaurante e não tive nenhuma dificuldade em conseguir mesa para 4 pessoas e um carrinho de bebê. Perto de 13h já tinha uma fila considerável na porta. Pedimos um steak tartare de entrada, que vem com um ovinho frito. Achei pequeno, mas estava bem gostoso.

De principal eu corri para experimentar o tão falado aligot do Fogaça e pedi um cordeiro que vinha com esse acompanhamento. O cordeiro estava surreal de gostoso, o aligot também estava bom, mas não vale toda a fama que tem não. Achei bem enjoativo.

O Alexandre pediu a sugestão do garçon, um cupim com farofa de banana e aipim na manteiga de garrafa que estava surreal de gostoso. O melhor prato da mesa. Meu sogro comeu um filé mignon com batata gratinada que estava gostoso também, mas nada excepcional. No geral, gostamos bastante dos pratos principais.

As sobremesas foram um ponto alto do almoço. Pedimos duas: uma mousse de chocolate com flor de sal e caramelo e um souflé de goiabada com requeijão. A mousse estava bem gostosa, mas o souflé ganhou meu coração, estava divino. Só achei o requeijão meio sem contexto ali, mas ainda assim a sobremesa vale pelo souflé. É muito gostoso!

O atendimento foi excelente do início ao fim, os pratos chegaram bem rápido e sem problemas, o garçom que nos atendeu foi muito prestativo o tempo todo. O único “problema” que tivemos foi a falta de cadeirinhas para criança, mas isso a gente pode relevar porque o restaurante acabou de inaugurar e as cadeirinhas ainda não chegaram.

No final, a conta atendeu as expectativas de preços que imaginávamos. Um valor razoável para 4 pessoas que comeram 1 entrada + 3 principais + 2 sobremesas + café e bebidas. Preço ok para um restaurante do nível que ele se propõe. Valeu a visita!

Sal Gastronomia
Village Mall – 3o andar
(21) 3252-2799
Horário de Funcionamento: das 12h às 22h.
(horário diferenciado em finais de semana e feriados)

Todo final de ano é a mesma coisa começa um bafafá nas redes sociais, uma explosão de fotos no instagram, mil pins no pinterest e quase que instantaneamente alguns destinos se tornam  hits do momento. A grande maioria deles vira “tendência de viagem” para o ano seguinte.

Depois de alguma pesquisa, selecionei alguns destinos que acho que vão fazer muito sucesso ano que vem por diversos motivos que vou explicar em cada um deles. Vamos ver?

EGITO | África

As questões políticas no país se acalmaram um pouco e por isso as pessoas estão se sentindo mais seguras para viajar pra lá. Acho que 2019 vai ser o ano do “boom” turístico do país. Vários bloggers de viagem e influenciadores foram para lá em 2018, o que tende a deixar o pessoal cativado a querer conhecer mais e saber mais sobre aquele destino. Sou muito suspeita para falar porque essa é a viagem dos meus sonhos e espero conseguir realizá-la muito em breve. Será que pra mim ela sai em 2019?
Onde ficar no Cairo: Four Seasons Cairo, Mercure Caire Le Sphinx e Le Meridien Pyramids

BUTÃO | Ásia

A Ásia sempre tem um destaque especial nessas pesquisas de destino tendência porque quase sempre eles tem um representante nas listas. Em geral são praias paradisíacas que chamam atenção dos intagrammers. Dessa vez, a espiritualidade ganhou das águas turquesas. O Butão é o destino da vez por lá. Templos variados, simplicidade, espiritualidade e uma viagem diferente das que todo mundo já fez. Tigers Nest Mosnastery, é o cartão postal do Butão, e Paro é a paradinha necessária ara conhecer o local.
Onde ficar em Paro: COMO Uma, Naksel Boutique e Rema Resort

FERNANDO DE NORONHA | Brasil

E não é porque eu visitei esse ano que ele entrou na lista não hein! Celebridades como Giovanna Ewbank e Bruna Marquezine popularizaram a ilha mais bonita do Brasil e quem ainda não conhecida, com certeza ficou com água na boca depois das muitas fotos das musas por lá. O destino, é sem sombra de dúvidas, o mais lindo do Brasil e merece mesmo ser conhecido e visitado pelos brasileiros. Se quiserem saber mais sobre Noronha, clique aqui e veja o post completo.
Onde ficar em Noronha: Pousada da Morena, Pousada do Vale e Pousada Tubarão.

CHIPRE | Europa

A ilha que também tinha uma situação política meio tumultuada acalmou e consequentemente deixou os turistas doidos para passar uma temporada por lá. De um lado a cultura turca, do outro a cultura grega. Praias paradisíacas, temperatura agradável o ano inteiro e uma estrutura hoteleira para atender a todos os gostos e bolsos. Melhor só se você souber que as passagens partindo da Europa são super baratas. Nada mal né? Aqui, como em toda Europa, o seguro viagem é obrigatório.
Onde ficar em Chipre: Four Seasons, Crowne Plaza e The Royal Appolonia.

Finlândia | Europa

A Finlândia tem ganhado espaço no mundo turístico com o boom de seus hotéis diferentões e tem se tornado uma excelente pedida de viagem para os amantes da natureza. Ver a Aurora Boreal e explorar uma viagem mais natural é o que tem tornado a Finlândia um destino tendência para o próximo ano. Eu tive a oportunidade de ver a Aurora Boreal na Islândia e assumo que morro de vontade de conhecer a Aurora Finlandesa e seus hotéis de vidro. Aqui o seguro viagem também é obrigatório.
Onde ficar em Helsinque: Radisson Blu, Clarion Hotel e Eurohostel.
Hotel Iglu de Vidro: Kakslauttanen Arctic Resort

Omã | Ásia

O país que está coladinho nos Emirados Árabes vai ter a sua chance em 2019. Exatamente porque Dubai e Abu Dhabi estão começando a ficar saturados para os turistas, Omã vai conseguir ganhar uma rebarba do turismo e vai começar a aparecer mais. Apesar de pouco conhecido, o país tem um litoral lindo de águas transparentes e temperatura perfeita. Sem falar em toda história e cultura. Um prato cheio!

Onde ficar pelo país: Six Senses Ziggy Bay, Desert Night Camp e Shangri-La Muscat.

E ai? Animou para conhecer algum desses destinos no ano que vem? Eu assumo que tem três desses ai super na minha mira. Dois para o primeiro semestre e o outro para o segundo semestre. Será que essas viagens vão rolar?

Quem já conhece tem alguma dica para compartilhar com a gente? Vale tudo. Passeios, restaurantes imperdíveis, lojinhas, hotéis… deixem ai nos comentários! =)