Croácia, Destinos, Split

Split | Croácia

16 ago 2016

coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 4Split foi mais uma das minhas paradas na roadtrip pela Croácia.  Sabíamos que a cidade seria apenas um pitstop rápido de um dia, e ainda assim, achamos tão bacana, com clima tão gostoso que valeu super a pena ter ficado ali, ter conhecido melhor sua história, seus pontos turísticos…

Split entrou no nosso roteiro por dois motivos: era uma boa chance de conhecer melhor a história da Croácia e era a parada perfeita na volta de Hvar, seguindo para Plitvice, nossa parada seguinte.

A cidade

Split é a maior e mais importante cidade da Dalmácia, bem como o centro administrativo do condado de Split-Dalmácia, na Croácia. Está situada numa pequena península na margem oriental do Mar Adriático, na base dos montes Kozjak e Mosor. Com uma população de 193.867 habitantes (2005), 95,15% dos quais de origem étnica croata (censo de 2001), é a segunda maior cidade da Croácia.

Embora o surgimento de Split costume ser associado à construção do Palácio de Diocleciano, há provas da existência prévia de uma colônia grega na área. Diocleciano, um imperador romano que governou entre 284 e 305, era conhecido por suas reformas e pela perseguição aos cristãos. Por ordem sua, a construção do palácio começou em 293, de modo a estar pronto quando de seu afastamento da vida política do império em 305. O lado sul do palácio fica defronte ao mar, suas muralhas têm uma extensão de 170 a 200 m e uma altura de 15 a 20 m, e o complexo todo ocupa uma área de 9½ acres (38,000 m²).

Esta grande estrutura já estava abandonada quando os primeiros cidadãos de Split fixaram residência na parte de dentro de suas muralhas: em 639, os refugiados da cidade de Salona, destruída pelos ávaros, converteram o interior do palácio num vilarejo. Ao longo dos séculos, aquela comunidade cresceu e ocupou as áreas em torno do antigo palácio, mas este constitui, ainda hoje, o centro da cidade, ainda habitado, com lojas, mercados, praças e a Catedral de São Dômnio (construída reaproveitando a estrutura do antigo Mausoléu de Diocleciano) inseridos nos corredores, pisos e muros do antigo palácio. | Fonte: Wikipedia.coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 5vamosEssa parte é uma cópia do post sobre a Croácia onde dou todos os detalhes sobre o país como um todo. Mas não custa repetir por aqui para os viajantes que vão passar por Split, não é mesmo!? Se você quer ir direto ao assunto, pule para o item “Dicas Práticas”.

Vistos

Quer uma boa notícia? Brasileiros não precisam de visto para visitar a Croácia. A única exigência é que o passaporte esteja com no mínimo 6 meses de validade (a partir da data que você deixar o país!).

Se você tem dupla cidadania, e pretende usar o seu passaporte não-brasileiro para entrar na Croácia vale verificar se seu outro país precisa ou não de visto. Eu tenho cidadania italiana, por exemplo, e 100% das vezes que vou pra Europa uso meu passaporte italiano pra entrar. Porém, apesar de já fazer parte da União Européia, a Croácia ainda não faz parte do Espaço Schengen. Ou seja, para ir de qualquer local da Europa que faça parte do Schengen você precisa fazer imigração, carimbar passaporte de novo etc. Portanto, nesse caso, não faz diferença você usar o seu passaporte brasileiro ou o seu passaporte europeu aqui.

Clima

Sem dúvidas a melhor época do ano para visitar a Croácia é quando o verão está por perto. Nos meses de julho e agosto o país ferve. É super alta temporada, as cidades ficam lotadas, as praias ficam cheias de jovens, as ilhas são tomadas por gente de todos os cantos do mundo que querem curtir o verão europeu e emendar em boas baladas.

Eu fui na primeira semana de junho e achei maravilhoso. Peguei ótimas temperaturas (média de 25 graus), sol todos os dias, as praias e cidades mais vazias e um climinha super fresquinho e agradável. Por isso realmente acho que julho e setembro são os melhores meses para conhecer o país.

No inverno você vai curtir também, mas é um outro tipo de viagem. Com neve, frio, sem praia… uma viagem diferente, eu diria e com a vantagem de ser baixíssima temporada. Ou seja, com preços mais baixos e cidades mais vazias.

coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 2Moeda

A Croácia não faz parte da zona do euro e sua moeda corrente é a Kuna Croata (HRK). Pra vocês entenderem mais ou menos como funciona, atualmente a conversão é assim: 1 kuna = R$ 0,47. ou 1 euro = 7,50 kunas.

Para um país com o turismo em ascensão até que achei os preços por lá bem razoáveis. Lembrem-se que estamos falando de Europa e de um local que no verão tem seu ápice. Logo, nessa época os preços devem subir. Eu fui no início da alta temporada, então, os preços ainda estavam legais. Achei a Grécia, por exemplo, infinitamente mais cara.

Seguro viagem

Diferente da maioria dos países da Europa, a Croácia por não fazer parte do conglomerado de Schengen, não exige que o turista tenha um seguro saúde na hora de ingressar no país. Porém, como já falamos diversas vezes por aqui acho extremamente importante estar assegurado quando viajamos.

Eu sempre recomendo que vocês façam um orçamento com o comparador de preços e coberturas da Real. Sempre fecho com eles pois é fácil de encontrar o melhor seguro pra mim (sem pagar mais caro por isso). Eles são parceiros do blog e eu sempre utilizei os serviços e nunca tive problemas.

coisas que amamos comissão real seguros


Segurança

A Croácia, apesar de ter uma história forte e marcante de guerras, é hoje um país de primeiríssimo mundo e super pacífico. Por isso, posso dizer com tranquilidade que você não precisa se preocupar com a questão da segurança por lá.

Em nenhum momento me senti em risco ou me senti insegura. Claro, que como eu sempre falo, temos que ficar atentos aos locais de maior movimentos pois furtos podem acontecer. Mas em nenhuma hipótese podemos dizer que a Croácia é um país violento ou perigoso.

coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 8Como chegar

O que não faltam são opções de como chegar a Croácia. O avião, sem dúvidas, é a maneira mais prática. As grandes cidades como Zagreb, Split e Dubrovnik tem ótimos aeroportos internacionais e recebem vôos de diversos locais da Europa e do mundo.

As principais são: TAP (com escala em Lisboa), Alitália (com escala em Roma), Air France (com escala em Paris), KLM (com escala em Amsterdam), British (com escala em Londres) e a Croatia Airlines.

Como eu já contei, fiz a viagem de carro, então, vim de Dubrovnik passei por Mostar na Bósnia, Hvar e cheguei a Split. Mas pra quem estiver indo direto para Hvar, pode pousar no aeroporto de Split, passar um dia na cidade e depois seguir viagem.

As estradas são super bem indicadas, cheias de placas e com algumas fronteiras. Na verdade, para chegar em Dubrovnik especificamente, é necessário cruzar a fronteira da Bósnia. Não fique preocupado, tenha os passaportes em mãos, documento do carro e pronto!

E a carteira internacional de habilitação? Então, ela não é obrigatória, mas achei super válido ter. Fomos parados pela polícia em Montenegro e foi ótimo ter uma carteira em inglês para mostrar ao policial e tal. É imprescindível? Não. Vale a pena ter? Vale. Falei mais sobre isso aqui. Tem todas as infos que você precisa para tirar a carteira e como tudo funciona.

separadores viagem

Onde ficar

Como eu só ia passar um dia e uma noite queria me hospedar num lugar que fosse de fácil acesso, confortável e perto de tudo. Lembrando, claro, que eu estava de carro, então tinha que ser um lugar que tivesse onde estacionar o carro ou fosse perto de algum estacionamento. Vi vários hotéis, mas acabei optando por ficar do lado de fora do Palácio Diocleciano, mas beeeem pertinho da entrada, pra facilitar a minha vida e ser uma mão na roda.

coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 6Peguei a dica com a Lala Rebelo e acabei me hospedando no Priuli Luxury Rooms, um “hotel” de quatro quartos que fica a poucos passos da entrada do palácio e do bafafá da cidade. Achei a localização perfeita e para passar apenas uma noite e dormir, atendeu totalmente a necessidade. Ah! Eles oferecem estacionamento por um valor a parte. O estacionamento fica a 5min de carro do hotel. É bem tranquilo de ir andando até lá.

Quem quiser, pode se hospedar dentro do Palácio. Isso mesmo. É uma opção bem legal, mas seguindo aquele esquema de aluguel de quartos ou pequenos apartamentos que as cidades pequenas e oldtowns tem. Em Split, por sorte, é possível até encontrar alguns pequenos hotéis. Certamente seria minha opção se eu fosse ficar mais dias. Algumas opções  bem legais lá dentro são: Palace Suite Hotel, Luxury Rooms Lucija and Luka, Room Piaceta e Jupiter Hotel.

comissão booking hotel grande

O que fazer

Eu realmente fiquei muito pouco tempo na cidade, mas consegui fazer um tour pela parte histórica e Palácio Diocleciano e adorei! Comprei um daqueles Walking Tours e passeei pela área do palácio toda, pelo calçadão também conhecido como Riva, por dentro da Catedral (e no alto de sua torre que dá um medinho e tanto de subir! hahahaha)

Pra vocês entenderem a história do local, contei com a ajuda do meu amigo wikipédia. Vamos lá?coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 10 coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 1O Palácio de Diocleciano foi a residência imperial fortificada construída pelo imperador Diocleciano na costa da Dalmácia com o objetivo daquele local ser o seu retiro após a sua abdicação voluntária em 305.

O imperador Diocleciano morou neste palácio o essencial dos últimos anos da sua vida e, quando faleceu, o seu corpo foi depositado num sarcófago colocado dentro do mausoléu que ele mandou construir por lá.

Depois do desaparecimento do seu patrocinador, o palácio continuou a servir, até ao século VI, de residência oficial para a administração provincial e para as grandes personalidades em exílio, mas também abrigou uma manufactura têxtil. Depois das invasões eslavas, desenvolveu-se uma pequena cidade dentro das suas muralhas, a qual sucedeu a Solin como sede episcopal e administrativa das autoridades bizantinas. Esta acabou por passar para o controle veneziano e permaneceu como uma praça forte daquela república até à sua dissolução, em 1797. A partir do século XVI, os vestígios do palácio atraíram a atenção de arquitetos e eruditos europeus e tiveram uma influência confirmada sobre a corrente neoclássica. Hoje, aproximadamente 20 mil pessoas vivem dentro do Palácio que é protegido pela Unesco.

coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 3Acho que com esse resuminho do palácio vocês já sabem que andar pra lá e cá vai ser no mínimo divertido né? Não deixe de subir na Torre da Catedral (que era o antigo Mausoléu!), lá do alto a vista é linda e você consegue enxergar toda a cidade, a costa, as ilhas mais próximas e as partes de Split que você não vai nem chegar perto.

Pra quem vai ficar mais tempo, outra opção legal é conhecer as praias do entorno. O ônibus 12 passa pela costa e para em várias praias, inclusive algumas de areia (coisa rara por lá já que a maioria é de pedrinha).

Quem planejar dois dias inteiros por lá e chegar na hora H não achar necessário ficar os dois dias, pode dar um pulinho em Trogir, a cidade vizinha super procura pelos turistas. Ela é bonitinha e pequena, em um dia você consegue tranquilamente ver tudo. Para chegar até lá você pode comprar o ticket de ônibus ou comprar um passeio com guia que vende em todas as esquinas. Ou ainda, se estiver de carro, basta dirigir até lá.

Onde comer

Peguei com a dona do Priuli Rooms e com as meninas que atendiam por lá algumas dicas bem legais de onde comer, mas a que eu quero mais indicar pra vocês, é na verdade uma dica de onde beber. Vá no fim do dia, quando estiver escurecendo para a porta da Catedral, onde tem uma espécie de pracinha. Sente ali nos degraus, beba um bom vinho e curta a música ao vivo que vai rolar. Foi uma das experiências mais legais que tivermos em Split.

coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 11Mas já que estamos falando de comida nada melhor do que eu passar pra vocês algumas boas indicações que eu recebi e outras que eu experimentei por lá.

Pra quem não sabe, a Croácia é o país do azeite. E em Split, você vai ver isso de forma super clara. Almoçamos no Oje de Oil, que é um restaurante que foca no azeite de oliva e adoramos. O jantar foi no Bokeria, outra indicação das meninas que foi maravilhosa. Recomendadíssimo. O lugar é badaladinho e super cool, tem que entrar na listinha de must visit. As outras opções que elas nos passaram foram: No Stress Bistro e Augubio.

coisas que amamos croácia split viagem europa dicas o que fazer onde ficar 12Olive Oil Experience no Oje de Oil

Acho que é isso gente! Não fiz compras na cidade pois fiquei muuuito pouco tempo, mas essa região é lotada de lojinhas (e lojonas como Zara, Massimo Dutti, H&M…).

Espero que vocês tenham gostado desse relato e que ele ajude vocês durante a estada em Split. Se quiserem saber mais sobre essa minha viagem para a Croácia, e só clicar aqui.

Deixe seu Comentário
Voltar para a Home