Rio de Janeiro

10 lugares para ver o nascer e o pôr do Sol no Rio

02 mar 2020
Foto: Rafael Duarte – AdventureMag

Depois de muito pesquisar e visitar os hotspots que eu vou citar aqui, fiz uma pequena seleção de 10 lugares para vocês curtirem os melhores (e mais bonitos) nasceres e pores do sol do Rio.

Seja você um turista pela cidade ou um carioca da gema, duvido não se encantar no início ou no final do seu dia nesses lugares.

Leia Mais

Rio de Janeiro

Gabinete Real Português de Leitura

03 out 2019
dentro do gabinete real português

Esses dias, depois muitos anos trabalhando no centro do Rio, descobri que um lugarzinho passou desapercebido todo esse tempo, o instagramável Gabinete Real Português de Leitura.

No meio de uma confusão de prédios, aquela muvuca do centro do Rio, pertinho do Saara, se destaca um prédio lindo, com uma fachada em estilo neomanuelino, inspirada no Mosteiro dos Jerônimos, em Lisboa. Uma curiosidade, aliás, é que toda a pedra utilizada na fachada do prédio é de lioz e foi trazida de navio para o Rio.

Leia Mais
Brasil, Rio de Janeiro

Tour Ecológico no Bondinho Pão de Açúcar

26 jul 2019

Semana passada fui convidada para subir mais uma vez o Bondinho do Pão de Açúcar, mas dessa vez para conhecer o Tour Ecológico, um passeio cuja ideia é promover uma imersão na natureza, focada no ecoturismo mostrando um pouco mais da fauna e da flora local.

O Bondinho Pão de Açúcar, que está situado em uma Unidade de Conservação, possui a extensão de 91,5 hectares em meio à Mata Atlântica, uma das florestas mais biodiversas do mundo. Quem vê o local lá de baixo nem imagina isso, não é mesmo?

Vamos ver além das belas paisagens do Rio…
O que não significa que a gente consiga deixar de lado essa beleza toda né?!

O Tour Ecológico é um passeio para quem quer ver um pouco além do que “apenas” as belas paisagens da cidade maravilhosa. Pra quem quer entender sobre os ecossistemas, sobre a história da natureza na nossa cidade e sobre esse pedacinho de verde no alto de um dos pontos turísticos mais famosos da cidade.

O tour começa em uma salinha onde o guia apresenta um pouco de como vai ser o passeio, distribui crachás com nomes e uma garrafinha de água para cada visitante. Logo em seguida subimos no bondinho (as subidas já estão incluídas no valor do tour) e ai começamos de fato o passeio.

Assim que chegamos encontramos o Tié Sangue, espécie de pássaro nativa da Mata Atlântica.

A primeira parada é em um exemplar de Pau Brasil. O guia explica um pouco sobre a planta, sua importância histórica, de onde vem seu nome… em seguida fomos conhecer o Meliponário. Talvez você não saiba o que é isso. Eu também não sabia até o dia do tour. O meliponário nada mais é do que uma coleção de colméias de abelha sem ferrão.

O nosso guia, Thales, explicou sobre a importância das abelhas para o meio ambiente e contou que as abelhas estão sendo extintas. Com o aumento do uso de agrotóxicos, muitas abelhas estão morrendo e isso é um problema gravíssimo. Elas são os maiores polinizadores da natureza e sem elas, provavelmente muitas espécies de plantas (frutíferas inclusive) estão ameaçadas de extinção. Só pra vocês terem ideia, uma abelha sozinha, poliniza em média 200 plantas por dia. Agora, calculem o que uma colméia que pode passar de 100 mil abelhas pode fazer.

O meliponário do Bondinho Pão de Açúcar
As abelhas entrando e saindo da colméia.
São vários tipos de abelhas e colmeias diferentes. Juntas e misturadas.

Seguimos pela Via Verde, uma passarela no meio da mata, até a árvore dos desejos. Segundo nosso guia, ela é responsável por realizar desejos que o dinheiro não pode comprar. Você só precisa pensar no que quer, atravessá-la e dar um abraço quando chegar do outro lado.

Ela fica bem ao lado da Central de Resíduos do Bondinho Pão de Açúcar. É nesse local que é feito todo a reciclagem do lixo gerado por lá. Ao todo, são 25 toneladas de lixo reciclável e 55 toneladas de lixo orgânico. Todo esse lixo é reciclado e aproveitado de alguma forma. O orgânico, por exemplo, vira adubo e é utilizado na jardinagem do próprio bondinho.

Entrando na Via Verde. A mata é tão mais fechada que a temperatura chega a cair um pouco
Na árvores dos desejos, já fazendo o meu, claro!

Ainda dentro das ações sustentáveis praticadas por lá, há alguns meses, o Bondinho Pão de Açúcar começou a utilizar placas solares para produzir energia. Hoje, parte da energia utilizada para movimentar o teleférico é proveniente das 43 placas instaladas por lá.

Ao subir para o Pão de Açúcar (o morro mais alto), inevitavelmente ainda nos embasbacamos com a vista lá do alto. O guia nos contou que a beleza cênica do Rio é patrimônio cultural da UNESCO. Ou seja, somos uma das únicas cidades do mundo, reconhecida pela beleza urbana.

Seguindo com o tour entramos no que eles chamam de Bosque, e entendemos um pouco mais sobre a história da cidade e das espécies da Mata Atlântica que íamos vendo. Nesse ponto o Thales nos contou sobre o trabalho super bacana feito por eles para fazer o manejo de espécies que são uma ameaça a essa biodiversidade, como é o caso do bambu. O único predador desse tipo de planta, é o urso panda, que não temos aqui, ou seja. o bambu se espalha e vai matando e tirando o lugar de outras plantas que poderiam estar crescendo ali.

A vista da entrada do Bosque! Uauuu!
Vimos muitos bichinhos por lá: micos, lagartos, pássaros…

É lá no Bosque também que fica o berçário das mudinhas. Uma estufa onde são plantadas e criadas algumas espécies de plantinhas, alimentadas com o adubo da reciclagem, e que depois de maduras vão para a natureza. Nós também ganhamos um pacotinho de adubo e nessa hora, descobrimos que os nossos “crachás” eram feitos de papel de semente. Ou seja, saímos de lá plantando eles com o adubo que ganhamos. Boa ideia né? As crianças ficam doidas com isso!

Um pouquinho do berçário de mudinhas.

Um pouco antes de terminar passeio, passamos pela rampa jovem. Uma subida íngreme que dá um pouco mais de emoção ao passeio. Se você foge desse tipo de aventura, não se preocupe, você pode voltar pelo caminho original sem problema algum.

Nossa última parada no tour ecológico foi para finalmente admirar a vista deslumbrante do alto do Pão de Açúcar. O guia contou um pouco mais sobre a Mata Atlântica e sobre as ações que o Bondinho Pão de Açúcar tem realizado, como por exemplo a adoção da Trilha do Morro da Urca e da Pista Claudio Coutinho. Uma iniciativa muito bacana.

Um pouquinho das muitas vistas lindas lá de cima!

No geral achei o passeio bastante interessante. Acho que as crianças vão curtir muito e todas as pessoas interessadas em natureza e meio ambiente. Acho que o ponto alto é saber que esse é um passeio que não é apenas para turistas, moradores do Rio podem e devem fazer para conhecer um pouco mais da cidade, suas histórias e da natureza ao seu redor.

Desse ângulo conseguimos ter uma dimensão melhor dessa parte de área verde do Pão de Açúcar.

SERVIÇO

Tour Ecológico Bondinho Pão de Açúcar
Duração: 2h
De terça a sábado às 10h.
Valor: R$ 220,00 (Bilheteria/Inteira)
R$ 198,00 (Site/Inteira)
R$ 110,00 (Bilheteria/Meia-entrada)
R$ 99,00 (Site/Meia-entrada)
Comprando nos totens de auto atendimento você tem um pequeno desconto.
Mais informações em www.bondinho.com.br

Essa atividade foi organizada pela RBBV RJ (uma cédula carioca da Rede Brasileira de Blogs de Viagem). Tudo que está sendo falado nesse post é a minha opinião livre de qualquer obrigatoriedade referente ao convite. Além de mim, outros 12 blogs participaram: Despachadas, Viajar Correndo, Chicas Lokas, Dani Turismo, Fora da Toca, Até Onde eu Puder ir, Olivia Garimpando por Aí, Let’s Fly Away, Travel Tips Brasil, Viajando com Daniela e Turista FullTime.

América do Sul, Brasil, Destinos, Rio de Janeiro

O Zoológico do Rio

24 out 2018

Esse final de semana aproveitei o domingo meio nublado para fazer um programa que estava nos meus planos desde que a Vic nasceu: conhecer o zoológico do Rio. Antes de mais nada, não sou uma pessoa a favor do conceito de zoológico, mas já visitei alguns mundo afora e sei que nem sempre os animais são maltratados, que muitas vezes não tem condições de sobreviver sem aquele auxilio…

Pois bem, eu já sabia que uma parte do zoo estava fechada para uma grande reforma que eles estão fazendo. A ideia é mudar completamente tudo que já existe lá e transformar o espaço é uma área de entretenimento moderna, atualizada e muito mais agradável tanto para os visitantes quanto para os animais.

Nem vi a reforma mas já estou amando a ideia por que realmente está precisando a minha primeira impressão é de que o lugar está completamente decadente e abandonado. Jaulas enferrujadas, paredes mofadas, espaços pequenos demais para os bichos… sem falar na aparência dos animais. Todos parecem cansados e doentes, e os que não estão prostrados, parecem estar estressados demais.

Acho que já deu pra perceber um pouco do que eu achei do lugar né? Mas vamos as coisas boas. A parte que está aberta ao público tem a grande parte dos animais que as crianças vão gostar de ver: elefantes, tigre, leão, macacos, pássaros, hipopótamos entre alguns outros. Ficam de fora nesse momento as cobras, jacarés, chimpanzés e fazendinha.

O valor da entrada é bem razoável, R$20 por adulto e crianças menores de 2 anos não pagam. Idosos e estudantes pagam meia mediante comprovação. O local tem estacionamento pago (R$20) e fica bem em frente a um restaurante super tradicional na região que pode ser o seu combo do passeio.

Me perguntaram se achei que valeu a pena? Pessoalmente não gostei. Esperava bem mais. Achei decadente, achei sujo e obviamente não estou nem considerando o fato de estar em obras para tudo isso. Estou falando da parte que vi aberta. Por R$20 a Vic até gostou, mas não acho que foi uma experiência legal.

Estou ansiosa para ver o RioZoo pós obra. Pelo projeto que eu vi o local vai praticamente virar aquele parque do Jurassic Park. Fiquei realmente animada e acho que é isso que o Rio precisa se quer ter um zoológico para chamar de seu. Nessa matéria aqui você pode ter uma ideia do que vem por ai. Do contrário, vamos entregar os animais aos seus locais de origem ou a novos cuidadores e vamos admitir que não temos condições de ter um zoo na cidade.

Espero escrever um novo post sobre o zoo, em um futuro próximo, com as minhas impressões. Se essa obra se concretizar como planejada, tenho certeza que serão ótimas impressões. Agora, só volto lá quando inaugurar. Até lá, recomendo que você não visite o zoo, não é imperdível, muito pelo contrário. Guarda esses R$20 porque certamente quando o novo zoo inaugurar você vai precisar de algumas notas dessas para entrar.

RioZoo
Quinta da Boavista
Horário de funcionamento irregular devido as obras
(21) 4063-3003

Visitamos o Zoológico em Outubro de 2018.

Brasil, Destinos, Rio de Janeiro

Um passeio pela Ilha da Gigóia

10 set 2018

Esse fim de semana resolvi fazer um programa diferente e ir conhecer a Ilha da Gigóia. Pra quem não é do Rio, essa é uma pequena ilha que fica no Canal da Barra da Tijuca. Hoje, moram aproximadamente 3 mil pessoas na ilha, que pode ser percorrida em uma caminhada de mais ou menos 25 minutos.

Pra chegar na Ilha é necessário fazer uma travessia de balsa (R$2/pessoa). Os barcos partem de um pequeno pier em uma ruela entre o prédio da Unimed e o posto Shell (na Avenida Armando Lombardi), no início da Barra da Tijuca. Quem for de metrô pode descer na estação Jardim Oceânico e atravessar a rua para chegar ao pier. (A dica aqui é estacionar o carro no shopping Barra Point!)

Se você quiser que o barqueiro te leve a algum outro ponto da Ilha da Gigoia ou da Ilha Primeira (que é logo depois) você precisa falar com ele para ele te informar o valor da “corrida” e te deixar no pier mais próximo. Foi o que fizemos. Pedimos para o barqueiro nos levar até o Bar do Cícero que era nossa escolha para o almoço.

Chegamos cedo por lá pois o restaurante costuma lotar. Pegamos uma mesa na beira da água e começamos a curtir o programa. Pedimos uma porção de pastel de camarão, que estava divino. Terminamos com uma moqueca de peixe que também estava deliciosa. O prato é bem farto e servia 3 pessoas tranquilamente. Achei o Bar do Cícero com excelente custo x benefício. Inclusive é uma boa opção para quem quer comer um bom prato de frutos do mar sem gastar muito.

Lá na Ilha da Gigoia você ainda encontra outras opções bem conhecidas de restaurantes como o Laguna, o Venne e o Bistrô Gigoia. O ideal é sempre chegar cedo ou ligar para fazer reserva e garantir seu lugar.

Quem quiser um final de semana off e bem fora do tradicional, pode se hospedar por lá. A ilha oferece algumas opções de hospedagem bacaninhas pros hospedes relaxarem e descansarem fugindo do padrão: Pousada da Gigóia, Pousada Ilha Maravilha, Pousada Oásis do Barral, Pousada Barra Eco BoutiquePousadinha da Barra.

O local não oferece grandes atrativos além de relaxar e passear meio sem rumo pelas ruelas. Mas quem quiser, pode negociar com o barqueiro um passeio pelas ilhas do entorno. Esse programa custa em geral R$20/pessoa e leva aproximadamente uns 40 minutos. Dependendo do percurso você consegue ver diversas aves e até jacarés.

O programa é super legal para fazer com família, amigos e claro, com crianças e bebês. Nós fomos com o nosso carrinho que fechar pequenininho e foi super tranquilo. A Vic aproveitou muito e adorou o passeio de balsa.