Há pouco mais de 2 meses inaugurou no Jardim Botânico o Didier. O restaurante, do chef Didier Labbé, que trabalhou no grupo Troigos por 10 anos, ocupa hoje o espaço que antes era do CT Trattorie.

A ideia do restaurante é trazer um bistrô tipicamente te francês, com um mix de comida simples com toque autoral e muitos alimentos frescos, a preços acessíveis.

Acho que ele conseguiu quase tudo que planejou. Os preços acessíveis são meio discutíveis, mas tudo bem. Assunto que vamos conversar mais pra frente.

Começamos com um couvert e duas entradas sugeridas pelo garçon: polenta mole com palmito trufado e ovo pochê com aspargos e crocante de Parma. A polenta estava deliciosa. O ovo era ok.

De principal pedimos quatro pratos diferentes. Um penne com ragu, cogumelos e bacon que estava surreal de gostoso. Um risoto de queijo minas com palmito pupunha e crocante de couve, bem gostoso. Um risoto de camarão, também gostoso. E um filé de costela, com batatas assadas e cogumelos cardoncelos, que também estava muuuuuito bom.

Para sobremesa pedimos um creme brule, especialidade da casa. Delicioso! Só senti falta de experimentar o profiteroles, a minha sobremesa preferida da vida. Mas eu volto lá pra isso!

No geral achamos tudo bem gostoso, mas longe de ter um preço acessível. Tem preço padrão de um restaurante de alto nível no Rio de Janeiro. Esse jantar com água e vinho saiu a mais ou menos R$600 para 4 pessoas. Não é caro, mas na minha opinião não é acessível também.

Ainda assim acho que vale muito a visita. O toque (fofo) final foi a visita do próprio chef na nossa mesa perguntando se estava tudo bem, se estávamos gostando da comida… esse toque pessoal faz toda a diferença é é de uma gentileza enorme. Curti!

Didier

Rua Alexandre Ferreira, 66 – Jardim Botânico

(21) 3264-7960 – aceita reserva.

No último final de semana aproveitamos o tempo meio nublado para conhecer um novo restaurante no Rio, o recém-inaugurado SAL, do chef e jurado do Masterchef Henrique Fogaça. A ideia do restaurante é apresentar uma comida contemporânea brasileira, mas com aquele toque de comida de chef. E é exatamente isso que ele faz.

Cheguei beeeem cedo no restaurante e não tive nenhuma dificuldade em conseguir mesa para 4 pessoas e um carrinho de bebê. Perto de 13h já tinha uma fila considerável na porta. Pedimos um steak tartare de entrada, que vem com um ovinho frito. Achei pequeno, mas estava bem gostoso.

De principal eu corri para experimentar o tão falado aligot do Fogaça e pedi um cordeiro que vinha com esse acompanhamento. O cordeiro estava surreal de gostoso, o aligot também estava bom, mas não vale toda a fama que tem não. Achei bem enjoativo.

O Alexandre pediu a sugestão do garçon, um cupim com farofa de banana e aipim na manteiga de garrafa que estava surreal de gostoso. O melhor prato da mesa. Meu sogro comeu um filé mignon com batata gratinada que estava gostoso também, mas nada excepcional. No geral, gostamos bastante dos pratos principais.

As sobremesas foram um ponto alto do almoço. Pedimos duas: uma mousse de chocolate com flor de sal e caramelo e um souflé de goiabada com requeijão. A mousse estava bem gostosa, mas o souflé ganhou meu coração, estava divino. Só achei o requeijão meio sem contexto ali, mas ainda assim a sobremesa vale pelo souflé. É muito gostoso!

O atendimento foi excelente do início ao fim, os pratos chegaram bem rápido e sem problemas, o garçom que nos atendeu foi muito prestativo o tempo todo. O único “problema” que tivemos foi a falta de cadeirinhas para criança, mas isso a gente pode relevar porque o restaurante acabou de inaugurar e as cadeirinhas ainda não chegaram.

No final, a conta atendeu as expectativas de preços que imaginávamos. Um valor razoável para 4 pessoas que comeram 1 entrada + 3 principais + 2 sobremesas + café e bebidas. Preço ok para um restaurante do nível que ele se propõe. Valeu a visita!

Sal Gastronomia
Village Mall – 3o andar
(21) 3252-2799
Horário de Funcionamento: das 12h às 22h.
(horário diferenciado em finais de semana e feriados)

04
out 2018

Testei: Joico K-Pak

Todas as vezes que eu viajo para os Estados Unidos, volto com um litrão de produto de cabelo. Seja shampoo, condicionador ou máscara. Não importa. Faço isso porque o lá os produtos que eu gostos são infinitamente mais baratos do que aqui, então sempre vale muito a pena. Da última vez não foi diferente. Comprei um litrão do shampoo e do condicionador K-Pak da Joico.

Fui ousada na compra pois apesar de saber que a Joico é uma ótima marca que faz produtos excelentes para cabelo, eu mesma nunca tinha usado esse produto deles. Mas, pelo preço que estava achei que valia a pena o risco.

O que a marca diz: “Indicado para cabelos danificados, limpa enquanto devolve proteína para a estrutura interna dos fios. Com uma base cremosa restaura a força dos cabelos. As fórmulas multi-ação da linha K-PAK apresentam o revolucionário Complexo Peptídico Bio-avançado. Um blend de antioxidantes, óleos, ácidos e hidratantes botânicos essenciais.”

Pois bem, cheguei no Brasil e comecei a usar sem parar. Lavo dia sim, dia não com eles (shampoo e condicionador) e tenho a sensação de que o cabelo está mais tratado sabem? Eu ainda não vejo uma mudança radical no cabelo, mas ele está com um aspecto de mais bem cuidado. Sem falar no cheirinho que é delicioso e zero enjoativo.

Basicamente o que achei foi: é um excelente produto, que é vendido a preços muito altos aqui no Brasil. Pra pagar o preço que ele custa aqui, acho que eu prefiro usar outros. Pra pagar o que eu paguei lá fora, está super valendo como um shampoo e condicionador de tratamento. Ou seja, recomendo bastante se você quer um cabelo bem cuidado e se você pode/quer investir em um shampoo um pouco mais caro.

Onde: Comprei nos EUA (e depois no Canadá)
Quanto: Paguei U$44 no pack com 1L de shampoo e 1L de condicionador. (Recomprei no Canadá só o shampoo por CAD 19,90)

18
set 2018

A louca das máscaras

Quem me segue no instagram há algum tempo talvez já tenha percebido que ando meio louca por máscaras de beleza. Sejam ela para o cabelo, para o rosto, para os pés ou boca. Basta eu achar uma novidade ou alguma máscara que chame a minha atenção para puxar a carteira e preparar meu spa em casa.

Nesse meio tempo consegui ficar meio viciadinha em algumas especificamente. Não que todas não sejam boas de alguma forma, mas tem algumas que eu realmente sito a diferença e curto usar sempre. Por isso, compro e recompro sempre que posso.

1. Bóscia | Pés: Essa, sem sombra de dúvidas, foi a máscara que mais me surpreendeu de todas que eu já usei na vida. Ela é de fato o verdadeira, promete e cumpre. Ela diz escamar o pé e tirar toda a pele morta. E ela realmente faz isso. É incrível. Ela não é uma mascara barata. Custa U$20 e vende na Sephora lá de fora e na Amazon. Vale fazer estoque quando viajar. (e pelamor, se alguém achar alguma coisa parecida com isso aqui no Brasil, me avisa!)

2. Dr. Jart | Rosto: Amo as máscaras do Dr. Jart. Pra mim são as melhores dessas de pacotinho no quesito cuidados com a pele do rosto. Também sempre compro na Sephora quando viajo. Elas são um pouco mais acessíveis e custa em torno de U$12.

3. Moroccoil e Sephora | Cabelo: Amo essa marca desde que ela surgiu no mercado. Meu cabelo se dá muito bem com os produtos deles e com a máscara não poderia ser diferente. O mesmo acontece com essa máscara noturna da Sephora. O cabelo fica tão macio que parece que vai desmanchar.

4. Sephora | Olhos: Essa só usei uma vez até hoje, mas adorei. Deixa a região abaixo dos olhos com aspecto de descansada e dá a impressão de que reduziu as marcas de expressão, sem falar que hidrata muito.

5. Japinha | Labios: Me arrependi taaaanto de só ter comprado duas máscara dessa. Usei uma vez e me apaixonei, agora tô economizando a segunda. hahahhaaha

Aproveitei a oportunidade para mostrar algumas máscaras meio doidas que eu tenho por aqui. Algumas já testei outras nem cheguei perto ainda. Mas ainda assim acho legal compartilhar, porque vai que uma de vocês conhece, já usou e testou e pode me dar uma opinião.

Aproveitei a seleção e quis mostrar um outro tipo de máscara que uso muito, são essas “máscaras sem a máscara” de fato. Elas vem em sachês, potinhos e saquinhos e em geral já são o “creminho” que você vai passar no rosto e depois de um tempo enxaguar gosto e quase todas vendem aqui no Brasil, ou seja, vocês podem encontrar também.

Na Sephora do Brasil é super fácil de achar esses modelos de “saquinho” com a máscara dentro. Elas são um pouco mais baratas e dura mais porque podem ser usadas 4 vezes. Já essas da Vichy, que eu amo, tem em qualquer farmácia e também são muito boas. E as da Islândia eu tenho um apego especial né? Estive lá, peguei da fonte e na hora de ir embora não resisti e comprei algumas pra mim.

Mas assumo que de todas a que eu estou mais ansiosa para usar é essa de gergilim preto. Medo de como ela vai ficar! hahahaha Comprei agora no Canadá porque li muito sobre os benefícios pra pele. Espero realmente que faça efeito.

E vocês? Que máscaras usam? Quais recomendam? Me contem para que eu possa começar a aumentar a minha coleção!