Destinos, Dicas, planejamento e outros, Escócia, Inglaterra, Organizando e planejando, Panamá

Viajando de carro pelo Reino Unido

20 mar 2017

viajando de carro pela escóciaVocês que acompanharam essa minha última viagem de férias perceberam que estávamos viajando de carro pela Inglaterra e pela Escócia. Muita gente nos questionou por conta dessa decisão, mas sem dúvidas acho que foi super acertada e vou explicar o porque.

Saímos da Islândia para Londres (de avião obviamente) e lá não precisamos de carro para turistar. Então, reservamos o carro no dia de ir embora, fazendo a retirada no aeroporto Heathrow. Ficamos 10 dias com o carro e percorremos o interior da Inglaterra e a Escócia. E vou contar os detalhes aqui pra vocês…

Roteiro

Essa foi uma das primeiras coisas que a gente definiu antes de começar a pensar em alugar ou não o carro. Saber aonde você vai, conhecer as estradas, saber a respeito das condições climáticas e etc é bem importante na hora de tomar a decisão final do carro.

Resolvemos fazer Inglaterra e Escócia, no inverno, ou seja, com muita possibilidade de neve, e passando pelas Highlands, que são “os alpes” escoceses e indo a Skye, a “ilha” vizinha a Inverness. Tínhamos que ter um carro que desse conta do recado. Nosso roteiro ficou assim:

Dia 1: Londres – Winchester
Dia 2: WinchesterStonehengeBath
Dia 3: Bath
Dia 4: BathYork
Dia 5: York
Dia 6: YorkEdimburgo
Dia 7: Edimburgo
Dia 8: EdimburgoInverness
Dia 9: Inverness
Dia 10: Inverness – Skye – Glasgow

Roteiro traçado, foi fácil definir o modelo do carro, os horários de retirada e devolução e qualquer outra coisa que a gente pudesse querer garantir na reserva.

viajando de carro pelo reino unidoOnde alugar?

Bom, costumo alugar em locadora conhecidas para evitar transtornos. Dessa vez não foi diferente. Aluguei pela RentCars, que eu sempre recomendo aqui, é a minha escolha 100% das vezes e eu super confio.

Aluguei o carro com uns 15 dias de antecedência para garantir um bom preço e conseguir o carro que eu queria. Explico: como por lá se dirige na mão inglesa, queríamos um carro que fosse automático para que a nossa experiência dirigindo na “contra mão” fosse mais confortável. Um carro grande era importante também, afinal, estávamos com malas grandes e queríamos garantir que tudo ia caber no carro.

Seguro

O nosso cartão de crédito nos dá seguro para quando estamos viajando de carro. Em uma situação normal, talvez utilizássemos só esse, mas dirigindo no Reino Unido achamos melhor contratar um seguro da locadora para garantir que se alguma coisa acontecesse não teríamos problema.

Contratamos um seguro na hora da retirada do carro e tudo ótimo. Custou £13/dia, que não é a coisa mais barata do mundo, mas nos dava o conforto de saber que tanto o nosso carro, quanto com o carro de terceiros estavam segurados em caso de algum tipo de acidente. Seja grande ou pequeno.

Além disso, nosso seguro viagem também nos dava algumas assistências relacionadas ao carro. Foi uma escolha nossa na hora que comparamos os seguros para escolher o que melhor se adequava a gente.

GPS ou Google Maps?

Contratamos também o GPS para garantir que os caminhos seriam acertados. Fizemos isso quando reservamos o carro pelo site. Isso é uma dica importante. Muitas locadoras não tem o mesmo número de GPS que elas tem de carro, por isso muita gente acaba ficando sem. Então, é sempre bom você já garantir o seu, caso queira, no ato da reserva.

Nós estávamos com chip de internet e tínhamos acesso ao Google Maps, mas nos guiamos 95% do tempo com o GPS do carro e foi super tranquilo.

Dirigir na mão inglesa

Bom, não fui eu quem dirigiu, foi o Alexandre e acho que ele tirou de letra. Claro que no início é estranho, você fica meio tenso, ainda se preocupa com as medidas do carro, fica mais atento as laterais… mas no geral, acho que foi bem tranquilo.

O Alexandre já tinha dirigido antes na mão inglesa, mas não acho que isso tenha feito muita diferença. Realmente o que ajuda é você ir com calma até pegar o jeito. Atenção especial nas rotatórias e na pista de quem vai mais rápido e devagar.

viajando de carro na mão inglesaEstacionamento

Em quase todas as cidades que paramos tínhamos estacionamento incluído no hotel ou algum esquema de estacionamento público perto. Essa foi uma outra preocupação na hora de fazer as reservas dos hotéis.

Estacionar o carro por lá é bem carinho, portanto, tente conseguir hotéis com estacionamento gratuito ou com algum lugar próximo em que você tenha noção do preço que vai pagar para parar o seu carro. Lembre-se que estacionamento de rua lá é pago e muita vezes você não pode passar de 2h parado no mesmo lugar, ou seja, tem que procurar um estacionamento mesmo para o carro passar o dia e a noite parado.

As estradas

Em geral as estradas são ótimas e super bem sinalizadas, principalmente na Inglaterra. Nesse roteiro que a gente fez, pegamos muitas estradas grandes e movimentadas. Bem tranquilo.

Na Escócia as principais estradas também são muito boas, porém, as menores com as estradas próximas aos lagos, por exemplo, são pequenininhas e apertadinhas. Nada que seja problemático, mas dá um nervosinho dirigir na “contramão” em uma mini estrada de mão dupla. A dica aqui é reduzir a velocidade (ou até parar o carro) e esperar o outro veículo passar.

E se bater?

Pois é, aconteceu com a gente. Na verdade, não batemos. Bateram na gente. Estávamos estacionados em uma lojinha na Escócia quando uma pessoa deu ré e amassou um pouquinho a traseira do nosso carro.

Tínhamos os papéis da reserva em mãos e lá tinha um telefone para contactar em caso de batida. A pessoa que bateu também estava com o carro alugado e também tinha seguro completo que cobria terceiros, ou seja, na teoria, estava tudo certo.

batida quando viajando de carroO nosso carro e o carro que bateu na gente um pouco depois do “acidente”

Ligamos para o número que a locadora indicou em caso de acidentes e passamos todas as informações e dados da pessoa que bateu para eles. Com aquele seguro que fizemos na hora de retirar o carro, o máximo que nos aconteceria era ter que pagar £100 para o caso de algum acidente. Entenda ai qualquer tipo de acidente. Seja pequeno, médio ou grande. Seja um arranhão ou perda total.

Até o momento não cobraram nada em nosso cartão, então, estamos acreditando que o seguro do cara que bateu na gente cobriu tudo. Por isso é tão importante ter seguro. Pelo que vimos na hora de devolver o carro, um amassadinho daqueles que fizeram no nosso carro, podia custar até £1500. Socorro! Santo seguro.

Nessas horas que eu digo, pra que se estressar? Com um bom seguro viagem você fica tranquilo mesmo depois de uma batidinha dessas. Tanto com o carro, quanto com você.

Mas afinal, vale a pena?

Pessoalmente achei que foi a melhor decisão que tomamos. Além de você ficar livre para ir e vir quando quiser, você pode ir parando na estrada, descobrindo cidadezinhas, tirando fotos, conhecendo novos pontos e até mudando de ideia.

Foi ótimo poder fazer tudo no nosso tempo, com calma ou com pressa, nos nossos horários, parando onde queríamos… Dirigir na mão inglesa foi um desafio no início, mas com o tempo acostuma. Se você não tem problemas com direção fora do seu ambiente de costume, não pense duas vezes e alugue um carro. Certamente vale muito a pena!

viajando de carro inglaterraDicas e atenção:

  • Se o seu roteiro, assim como o meu, começar em Londres, uma boa dica é retirar o carro no aeroporto de Heathrow. Como ele fica “fora da cidade” você não pega o trânsito urbano logo no seu primeiro momento dirigindo na mão inglesa.
  • Carros automáticos ajudam muito. Passar a marcha com a mão esquerda não deve ser fácil.
  • Fique atento aos radares e controles de velocidade das estradas se não quiser ser multado em pounds. O GPS apita toda vez que você está acima do limite permitido e mostra constantemente a velocidade permitida naquele trecho da estrada.
  • Contrate o seguro completo do carro. Custe o que custar. Não pense duas vezes.
  • Fique atento ao estacionar na rua. Na Europa o estacionamento na rua raramente é gratuito, portanto, procure sempre a máquina em que você pode pagar por ter parado o seu carro ali e não esqueça de deixar o ticket/comprovante em um local bem visível no carro.

Pra finalizar esse post, que tal um video com o resumo nos nossos dias pelo interior da Inglaterra? Aqui dá pra vocês visualizarem um pouco mais dos lugares que visitamos, das estradas, do carro, por onde passamos…

Aliás, se vocês quiserem saber um pouco mais sobre os lugares que visitei no interior da Inglaterra e na Escócia, clica nos posts abaixo:

Espero que tenham gostado desse post e que ele ajude vocês a organizarem essa viagem deliciosa pelo Reino Unido. Tenho certeza que vocês não vão se arrepender, é uma viagem incrível.

Destinos, Panamá

Panamá: 10 lugares para conhecer além do Canal

01 set 2015

Oi gente! O post de hoje é diferente do que costuma rolar por aqui. Temos uma convidada super especial que vai contar um pouquinho de como é o Panamá, cidade que ela mora atualmente, e mostrar pra gente que esse país tem muito mais para oferecer do que apenas um canal mundialmente famoso e uma zona franca ótima para as compras!

Pra quem não conhece, a Lala Rebelo tem um blog de viagens que eu adoro chamado lalarebelo.com. Estou sempre de olho pois os posts dela que são ótimos e super explicativos. Fica a dica para quem não conhecia e adora ver esse tipo de blog. Mas vamos lá!? Ela vai explicar tim tim por tim tim do que fazer no Panamá para curtir cada cantinho desse país!

emn64vBgFlIinSqT_U5vfW_Ibl6DJzuQbPD7hnT7JpQQuando se fala em Panamá, a primeira coisa que vem ao pensamento de quase todo mundo é o famoso canal, que liga o oceano Atlântico ao oceano Pacífico. Ah, e claro… Tem também o tal do chapéu, enfeitando cabeças de cidadãos do planeta inteiro há mais de um século.

Mas o que muita gente não sabe, é que esse pequeno país da América Central, vizinho da Colômbia e da Costa Rica e bordeado por dois oceanos, guarda tesouros preciosos e pouco explorados, em quase todo o seu território.

Pelo aeroporto, apelidado de Hub das Américas, milhares de turistas já passam todos os dias, indo da América do Sul a dezenas de destinos na América do Norte e no Caribe. Mas selecionei 10 lugares incríveis no Panamá, para que sua visita a esse país seja muito mais do que uma simples conexão.

1. Arquipélago de San Blas

Sou simplesmente APAIXONADA por esse lugar. O que explica o fato de já ter ido até lá quase 20 vezes! rs. San Blas é um arquipélago com mais de 360 ilhas no Mar do Caribe (costa atlântica do Panamá), a cerca de 2h de carro + barco da capital. O território é uma comarca indígena, então trata-se de um passeio suuuuper rústico (já que ninguém pode investir no local, além dos próprios “donos”, os índios Kuna). Mas é imperdível. Que tal uma ilha para cada dia do ano?! 😉

s6TjjMKPRBnvOqxvKzV4QzSA1ZLYu1yw7G0gFlcjBBk TVLENG-2nAnUNue9cEMkPQi29aShzUyxXaSQppVAH7A kZm9OwXfmlKepn-URxR4xky6MNFDYVA4SSSTLAiUqJo2. Bocas del Toro

Outro arquipélago no Caribe Panamenho. Este fica no extremo oeste do país, já quase na fronteira com a Costa Rica. Para chegar, tem que ir de avião da Cidade do Panamá (ou de carro, em cerca de 9h de viagem). Famoso pela rusticidade, pelas casinhas coloridas suspensas sobre o mar e pela água cristalina, seja em praias calmas ou em praias com ondas perfeitas para o surf.

Onde se hospedar: Punta Caracol, Azul Paradise, Hotel Bocas TownHotel El Limbo.

yEhe38HG78b4bff9KF4hrt7G6DrBG28fFFaut12NGkc sEFrR1MQdqNkxrmKYlt0coEkYS_bbkbUfO4y5B0Hmm4 BLDLO3baKVfc-Dw21Jn_enJoRb0h1qE_EcfSSRsf8k03. Cidade do Panamá – Parte moderna

A parte moderna da Cidade do Panamá já foi até apelidada de Dubai das Américas, devido a enorme quantidade de prédios altíssimos! O que eu moro tem 66 andares!! E são construções super mirabolantes: imitando vela de navio, parafuso… E por aí vai! Vale passar um dia todo caminhando em frente aos prédios (Cinta Costera) para tirar fotos. Além disso, a capital é cheia de restaurantes charmosos e shoppings enormes.

D0sPNGMmARQHcqOA5--hSt3D5MqyaLnj9Jv6KG3brS4 GnmJcSWDc8qQ4PJBwVOAVobb8cdKXB-84AWkKJSQnlY4. Casco Viejo da Cidade do Panamá

O Casco Viejo (ou Casco Antiguo) é a zona histórica/colonial, Patrimônio Mundial da UNESCO. O local é cheia de ruelas estreitas, praças e casinhas coloridas restauradas, que hoje são restaurantes e hotéis boutique. Uma delícia passear pelo local. Quem já esteve em Cartagena, na Colômbia, ou em San Juan Viejo, em Porto Rico, vai saber do que eu estou falando. São bem parecidos! Uma graça.

L7_jDRJto5t2ks1UFOu7UUuKLhtCFHnF6npnMnt6JM8 APl20HVFQyOy1QiOHMvQdUErkSb4ql4HS8l2f4O_Pt0 IU5wp3xYZO9DjH44Jjc8BTlMS7V1TfI1wqOaVxd9mrY5. Isla Contadora

Esta ilha pertence ao Arquipélago Las Perlas e fica no Oceano Pacífico. Facinho de chegar saindo da capital, pegando apenas uma balsa que faz o trajeto em aproximadamente 1 hora. A ilha é famosa por suas belas praias e também pelas baleias jubarte, que em alguns meses do ano se reproduzem ao redor da ilha e tornam um simples passeio de barco simplesmente fascinante!

Onde se hospedar: Hotel Mar y Oro e Perla Real Inn.

ssBoQs-8xdeWG1RqLe1MCT-BAIJ1i0G4QHn7CdhE3TY QM2VDLSKDXULiMJPAWViUZCuyvhKstzIDQJ6jNfqIQM Au4WQhhgHVX8GclGDUieHL4hRGswwUM4DbXrAOMYXJk6. Boquete & Vulcão Baru

Sei o quanto o nome dessa cidade pode soar engraçado para nós brasileiros, mas em espanhol, idioma do Panamá, isso não tem nada a ver! hehehe. Boquete é uma cidade fofinha, com um clima gostoso (friozinho), cheia de plantações de café (considerado um dos melhores do mundo!! Prove!) e cercada pelo Vulcão Baru, no qual você pode subir e avistar a Costa Rica e os oceanos lá de cima (se o tempo não estiver nublado).  Muita gente conhece Boquete quando vai a Bocas del Toro, pois os dois destinos estão próximos (no extremo oeste do Panamá, perto da fronteira com a Costa Rica).

Onde se hospedar: Riverside Inn, Finca Lerida Boutique Hotel, Panamonte e Los Establos.

liq-_uSh6KHYaHqKb_T1PZ8RbhxpdvfKJW5WssytpEQ IuGLNZzdgrcHGsmuJXM7Olrg1IAp77WeFvwSzblFsvA7. Playa Venao – Pedasí

Playa Venao é conhecida pelos surfistas. Quem vem ao Panamá e gosta das ondas, não pode deixar de conhecer. A praia, mesmo pra quem não surfa (meu caso), também tem seus atrativos. A areia é praticamente preta, o que a torna super diferente de tudo o que eu já tinha visto. Hotéis e hostels bacanas se enfileiram pela orla de Venao, que fica no Distrito de Pedasí, a 350km da capital.

Onde se hospedar: Playa Venao Hotel Resort, Selina Playa Venao e El Sitio Playa Venao. | Casa Lajagua (Pedasi City).

JEzA6EGmRgd711dB0FonZBl0jMn4J6wd9W6hXSi1c0UU10P5u6N0Tf5wKQIjAxz0wH5kDVhg5GNvC5gzAsX22obo-KWGI4-dM7oUUlUK7lO3LRst44mLaDJXRRPNJ4dkk8. Isla Coiba

Coiba é um parque nacional, super preservado, famoso principalmente por sua vida submarina. Sem dúvidas, o melhor lugar do Panamá para fazer mergulho de cilindro ou de snorkel, e avistar peixes, tartarugas, raias e até mesmo o gigante tubarão-baleia. Para chegar, dirija 5h30 até Santa Catalina e de lá, pegue um barco até Isla Coíba (20 minutos).

ndgTEqzJeFO4skuDUv4yUxHA-pXSp4nVf841RW27paY 8j_-eWAtm2I7xSMuFWsGemojn8uwE1N-v6Lt5kp6vho9. El Valle de Antón

Pra quem acha que o Panamá só tem praia e calor, está bem enganado! Além de Boquete, que já citei acima, tem também o Valle de Antón. Em um pouquinho mais de 1 hora de viagem saindo da calorenta capital, você chega a esse vale, fresquinho, rodeado de montanhas e hotéis com piscinas aquecidas. A cidade fica em uma das maiores crateras vulcânicas do mundo.siDu1VmQlWAmY7Mn7EWm5mTH4jhrK4YhC4F1qDN6lY810. Isla Iguana – Pedasí

Por último, mas não menos lindo e/ou importante: Isla Iguana. Parece Caribe mas é Oceano Pacífico. Tem o mesmo nome de uma outra ilha bem conhecida em San Blas (sempre falo dela no meu blog e no meu instagram). Mas essa aqui é oooooutra coisa!! Fica no distrito de Pedasí, província de Los Santos, na costa Pacífica do país, a cerca de 5h de viagem da capital. Você pode conhecer Isla Iguana na mesma viagem a Playa Venao. De Venao (ou de outras praias de Pedasí) você deve pegar um barquinho (cerca de 20 minutos apenas de viagem) para chegar neste cenário paradisíaco e desabitado! Maravilhoso, né?

Onde se hospedar: Playa Venao Hotel Resort, Selina Playa Venao e El Sitio Playa Venao. | Casa Lajagua (Pedasi City) – Playa Venao é o local mais próximo para se hospedar para ir a Isla Iguana.

QOlVRqEI_Wpv1nj5zKAxnmPjto8d20Urgh9ySd0312k gEKFZiIoBaDxD7X9yjxIXUGvvjATZrHG0eTe64ThUZwE aí, gostou do Panamá e ficou com vontade de conhecê-lo? Espero que sim! E o melhor, há dezenas de vôos diretos da Copa Airlines (www.copaair.com) saindo todos os dias de várias cidades brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Brasília, Porto Alegre, Manaus, Belo Horizonte e Recife). Além de lindo, é fácil de chegar!

Beijos e obrigada,
Lala Rebelo

perfil lala rebelo coisas que amamos

Obrigada Lala! Adorei o post e tenho certeza que os leitores viajantes do CqA também. Já estou morrendo de vontade de conhecer o Panamá. E com certeza o canal ficou beeeem menos atraente conhecendo tantas coisas bacanas por lá! =)

comissão booking hotel minicomissão real seguro minicomissão rentcars carro mini