França, Paris

Paris | França

05 dez 2019

Já No Nesse post você vai encontrar dicas, fotos, ideias de roteiro, hospedagem, restaurantes, dicas com crianças e informações sobre Paris, na França. Um post completo para você organizar a sua viagem para a cidade luz sem nenhuma dificuldade.

————–

Escrever um post sobre Paris nos dias de hoje é quase como escrever receita de bolo. Todo mundo já sabe, todo mundo já viu, todo mundo já conhece… mas, a minha ideia aqui é mostrar um guia da cidade pelos meus olhos, de acordo com a minha experiência, com o que eu vi por lá.

Paris é uma cidade muito especial pra mim. Sempre foi um sonho conhecer. Ver de perto a Torre Eiffel, me perder pelas ruas, passear pelas lojas na Champs Elysee e Avenida Montagne, conhecer o Jardim de Luxemburgo, o Louvre…

Dessa vez, apesar de ter sido a segunda viagem as emoções não foram menores. Me emocionei novamente com a torre, com Montmartre e com o pôr do sol no Sena, mas também me vi envolvida em uma viagem diferente. Uma viagem de quem está indo a cidade pela segunda vez, de quem tem menos “obrigações” turísticas e mais obrigação em curtir a cidade de fato. Em relaxar e me deixar levar pelas ruelas, pelo tempo, nos parquinhos e pracinhas… afinal, ainda tinha esse detalhe, dessa vez, fomos para Paris com Vic a tiracolo. E quer saber o que eu achei? Paris foi feita para os pequenos. E nós amamos viver esses dias parisienses com ela ao nosso lado.

INFORMAÇÕES BÁSICAS

  • Brasileiros não precisam de visto para entrar na França. Precisam apenas ter um passaporte em dia, com validade maior do que 6 meses após a data de retorno para o Brasil
  • O Certificado de Schengen é obrigatório. Ele nada mais é do que um seguro viagem básico no valor mínimo de U$30 mil. Sei que isso parece muito mas é o valor padrão. Eu faço sempre com a Real Seguros, que emite esse certificado para você e acho ótimo.
  • O Euro é a moeda de lá. Já leve trocado do Brasil (e se possível em notas pequenas para facilitar sua vida!)
  • O francês é o idioma local, mas muita gente fala inglês principalmente nas lojas e pontos turísticos. Não se preocupe.
  • O bairros de Paris são chamados de arrondissements. São 20 ao todo. A númeração começa na pirâmide do Louvre e vai aumentando em espiral em sentido horário.
  • O Rio Sena separa a cidade em duas metades. A parte de baixo, da esqueda ou Sul é Rive Gauche e a parte de cima, da direita e do Norte é Rive Droite.

COMO CHEGAR

Chegar a Paris é bem simples. Saindo do Brasil ha vôos diretos do Rio e de São Paulo diariamente pela Air France. Se você estiver em outra cidade pode pegar algum vôo da cia aérea francesa que faça escala dentro mesmo do Brasil ou pode optar por alguma cia áerea europeia que voe para Paris. KLM, Lufthansa, TAP, SwissAir, British… são algumas empresas que fazem o trecho Brasil – França.

Se estiver dentro da Europa fica ainda mais fácil, além das infinitas cias aéreas que fazem o trecho de avião, existem diversas possibilidade de pegar trens e ônibus para chegar a Paris.

DOS AEROPORTOS PARA A CIDADE

Charles de Gaulle é o aeroporto Internacional e o que recebe a maior quantidade de vôos. É também o aeroporto que fica mais afastado do centro. No entanto, chegar e sair dele é bem fácil. Paris tem um sistema de transporte público bem eficiente e você pode usar o RER B que para em diversas estações grandes na cidade e conectar com o metrô que ligue até o seu hotel.

Fazer esse trecho de taxi não é impagável. Eu fiz agora nessa viagem saindo de St. Germain, em um domingo as 19h, e paguei 80 euros. Mas a minha sugestão é sempre deixar um transfer agendado. Acho mais seguro e confortável do que subir e descer as escadas do metrô com malas e bolsas. Já usei esse transfer e recomendo.

O Aeroporto de Orly fica mais próximo a cidade e também pode ser uma das paradas do seu vôo. Lá também é possível agendar um transfer, mas se você preferir usar o transporte público, o OrlyBus é uma boa pedida. Você sai do aeroporto e para em um grande praça chamada Denfert Rochereau que tem estações do RER B e do metrô.

COMO SE LOCOMOVER POR LÁ?

Existem alguns passes de transporte em Paris. Vou fazer um breve resumo de cada um deles e depois você escolhe aquele que te agrada mais ou que atende melhor as suas demandas durante o seu período na cidade.

Navigo Decouverte: É o antigo Carta Orange. É um cartão com foto de uso ilimitado. Você pode comprar passes semanais ou mensais, nos guichês do metrô e estações RER, e também em quiosques, cafés e tabacs autorizados. É preciso levar uma foto 3×4. A grande vantagem é que ele vale para as 5 zonas, ou seja, vale para Versailles e Disneyland Paris e também para todos os transportes públicos. A desvantagem é que a validade do passe semanal, por exemplo, começa sempre na 2a. Então se você comprar na 5a, só terá até o domingo para aproveitar.

Ticket T+: Ou também conhecido como “Carnet 10 voyages”. Nada mais são do que bilhetes de transporte público comprados individualmente ou em múltiplos de 10. O bilhete sozinho custa 1,90 euros, o carnê com 10 custa 14,90 euros. Assim como o anterior também podem ser comprados em guichês do metrô, ônibus e estações RER. A vantagem é ter o preço convidativo, não ter validade e nem titularidade. A desvantagem é que ele só dá direito a RER zona 1 o que significa que ele não inclui os aeroportos, Versalles e Disney, por exemplo. Sem falar em pequenas pegadinhas como o fato de não poder fazer conexões entre metrô/RER e ônibus/tram.

Mobilis: É um passe com validade de um dia. Ele começa a valer as 00h01 e para de funcionar as 23h59 do mesmo dia. Custa 7,50 euros para as zonas 1-2; 10 euros até a zona 3; 12,40 euros até a zona 4 (Versalles); 17,80 euros até a zona 5 (Disneyland Paris). É vendido no mesmo local dos outros. A vantagem desse é que por pouca coisa a mais do que apenas comprar a passagem de ida e volta a Disney ou Versalles, você garantes todos os outros deslocamentos do dia. A desvantagem que é ele não abrange o RER para o Charles de Gaulle e nem o monotrilho Orlyval.

Paris Visite: É um passe de transporte ilimitado válido por 5 dias para as 5 zonas. A versão para 1 dia custa 27,80 euros e 72,40 euros para 5 dias. Também podem ser comprados nos caixas de auto-atendimento ou nos guichês do metrô, ônibus e estações RER. A grande vantagem é que um bilhete só serve pra tudo e as crianças ainda pagam metade. A desvantagem é que requer bastante uso para de fato se pagar e valer a pena. E também não é a melhor opção para quem chega em Paris a noite.

Paris Pass: É a mistura do Paris Visit + Paris Museum Pass. Ou seja, você tem todos os transportes e também os museus incluidos além de algumas atrações extras como Bateaux Mouche e ônibus hop on hop off. Os preços são bem salgados, 244 euros para 6 dias; 196 euros a versão para 4 dias; 165 euros para 3 dias; 131 euros para 2 dias . Na minha opinião essa é a grande desvantagem, somado ao fato de que nesse pacote, o passe de transporte só dá direito às zonas 1 a 3, ou seja, Versalles e Disney terão que ser pagos a parte.

QUANDO IR

Paris é maravilhosa o ano inteiro, mas algumas estações são mais agradáveis e melhores para você aproveitar o que a cidade oferece.

Como é uma cidade com estações muito bem definidas, você só precisa decidir o que quer fazer na cidade antes de escolher quando vai. O verão, de junho a agosto, é muito quente, beirando um verão no Rio mas sem brisa do mar. Vale muito ir nessa época se você estiver combinando sua ida a Paris com algum outro destino de praia na Europa.

O inverno, de dezembro a fevereiro faz bastante frio e as paisagens ficam branquinhas com a neve. Eu já fui nessa época e é lindo também. O problema é que os dias ficam mais curtos e muitas vezes as 17h já está completamente noite.

Na primavera, de março a maio, você vai ter a chance de admirar os jardins da cidade floridos e a paisagem mudando. Assim como no outono, de setembro a novembro, quando a cidade fica toda laranjinha com as folhas das árvores caindo.

ONDE FICAR EM PARIS

O que não faltam em Paris são boas opções de hospedagem. Selecionei aqui algumas opções para todos os gostos e bolsos. Tem apartamentos, hotéis e aparts para quem quer investir um pouco mais ou para quem quer economizar mas sem deixar de ficar bem instalado e confortável.

Uma coisa que vale a pena ficar atento: a grande maioria dos predio não tem elevador e nem tampouco ar condicionado. A minha dica aqui é: analise o que é fundamental para você na sua estada. Se você quer espaço e comodidade talvez seja melhor alugar um apart-hotel. Para quem busca conforto, um hotel é uma excelente opção para você. Se quer economizar os apartamentos são ótimas pedidas.

Outro ponto que acho que vale analisar na hora de escolher a sua hospedagem é a localização. Pessoalmente sou fã de alguns bairros e sempre que vou opto por ficar neles por uma questão de: ter tudo perto, fazer tudo a pé e estar num bairro bacana.

  • Bairros

Como falei aqui em cima os arrondissements são os bairros/distritos de Paris. Eles são numerados e começam na Pirâmide do Louvre. Diferente da maioria dos turistas eu gosto de estar perto dos pontos turísticos mas evito algumas regiões como Quartier Latin e a região da Torre Eiffel e Champs Elysee. Além de serem caríssimos, são turísticos demais, cheios demais e pra mim, por esse motivo, perdem um pouco o charme da cidade.

Na minha opinião os melhores bairros para se hospedar em Paris são: Marais e Saint Germain. Os dois são perto de tudo, você consegue passear por todos os lados andando e são bairros mais boêmios, com vida noturna, bares e restaurantes.

Dessa vez dividi a minha estada em 2 locais. No primeiro momento fiquei no 2º arr em uma rua lotada de restaurantes chineses, e a poucos minutos de caminhada do Louvre. No segundo momento, fiquei em um apart hotel em Saint Germain, de frente para o Rio, muito perto de uma rua super animadinha cheia de bons restaurantes e gente jovem. Amei as duas localizações.

Se você não se importa de pegar transporte público o tempo todo, saia da muvuquinha, quanto mais pra fora, mais barato será o hotel. Um meio do caminho que acho que vale a pena é a região da Bastille e Montparnasse. Não são tão afastados de tudo e tem bons preços.

Estúdio lindinho no Marais

Apartamentos:

Apartamento para família
Estúdio para casal
Apartamento 29 Best Flat: Apartamento de 1 quarto no Marais.
Home sweet home: Studio super novinho no Marais.
Le Marais Apartament: Apartamento com 1 quarto e ar condicionado.
Apartamento WS: Studio super fofo para casal no Quartier Latin.
Apartament on the Seine: Apartamentão de 3 quartos em Saint Germain.
DreamFlat: Apartamento super gracinha em Saint Germain.
Sweet Inn:
Apartamento lindinho perto do Louvre.
Classy Studio: Opção de studio pertinho da Place Vendome.

DICA: No Booking você consegue selecionar o apartamento pela quantidade de pessoas e depois filtrar por bairro. Acho uma excelente forma de pesquisar. Clique aqui e veja todos os apartamentos de Paris para fazer a sua seleção mais precisa.

Hotéis:

Hotel Regina: Luxuoso porém com preço bom e super bem localizado no 1.ºarr.
Best Western Premier Ducs: Estiloso e próximo ao Louvre.
TimHotel Palais Royal: Hotel bem BBB, vá sem muitas expectativas. Preço bom e localização chiquezinha.
Novotel Paris: Pra quem está com o orçamento mais tranquilo.
La Maison Favart: Hotel super fofo e lindinho no 2º arr.
Le Pavillion le Reine e Spa: Um sonho de hotel no Marais.
Boutique Hotel de la Place des Vosges: Hotel Boutique super gracinha na Place des Vosges. Preço mediano.
Grand Hotel Malher: Um dos hotéis mais perto do metrô do Marais.
Jeane D´Arc: Excelente pedida no Marais.
Hotel Claude Bernard: Pra quem quer ficar no Quartier Latin, esse acabou de ser renovado.
Cluny Square e Hotel du Levant: Outras duas opções bacanas e não tão caras no Quartier Latin.
Hotel de Seine: Em Saint Germain, muito perto da rua badaladinha.
Hotel des Marroniers: Hotel charmosinho e bem localizado ainda em Saint Germain.
Ibis Bastille: Hotéis baratinhos de rede são sempre boa ideia
Hotel Bastille: Opção simpática e BBB na região da Bastille.
Ibis Republique: Se você quer uma opção BBB com localização bacana.
Hotel Pavillion: Outra boa pedida na região da Bastille.
Hotel de la Tour Eiffel: Hotel super lindinho pertinho da Torre.
Amélie Hotel: Outra opção graciosa perto da Torre Eiffel.
Ibis Gare de L´Est: Coladinho na maior estação de trem da cidade.
Ibis Montparnasse: Se você vai de trem para Londres esse hotel é perfeito.

O maravilhoso hotel Shangri-la

Hotéis de Luxo

Plaza Athenée: Se você quer um hotel dos sonhos, na rua mais chique da cidade.
Le Meurice: Lindíssimo e clássico na Rue de Rivoli, com vista para o Jardim de Tuileries.
Four Seasons George V: Fica na avenida com o mesmo nome e é um Four Seasons né…
Mandarim Oriental: Uma das redes de luxo mais incríveis do mundo.
Shangri-la Paris: Lindíssimo hotel com vista para a Torre.

Residence e Le Spa Prince Regent

Apart-Hotel

Citadines Saint Germain de Pres: Foi o que eu fiquei na segunda parte da minha viagem e eu amei. Achei a localização excelente, o apartamento ótimo e a estrutura muito boa também. Recomendadíssimo.
Citadines Les Halles: Outra opção excelente de apart ótimo para famílias. Localização impecável também.
Citadines Tour Eiffel: Uma opção de apart aprovada para quem quer ficar perto da Torre.
Adagio Bercy Village: Outra rede de aparts muitíssimo bem avaliada.
Adagio Buttes Chaumont: Em outra localização, uma boa pedida para quem vai com crianças.
Residence & Spa Le Prince Regent: Apart bacanão em Saint Germain.

ONDE COMER

Esse tópico poderia ser infinito por aqui né? Afinal, o que não falta em Paris é boa comida. Seja do restaurante refinado com estrela Michelin ou da brasserie que só os locais frequentam e tem o melhor croissant da cidade. Vou repassar alguns endereços que eu fui e recomendo, mas já adianto, em Paris, se perder pelos restaurantes é uma excelente pedida.

  • Georges: O restaurante que fica no topo do Museu de Arte Moderna Georges Pompidou. Além da comida fenomenal, a vista do restaurante é linda de morrer. Dependendo do ângulo você vê o Sena e a Torre Eiffel e claro, fica sempre de frente para a Notre Dame. O restaurante é aberto ao público, inclusive para quem não quer ir ao museu. Tem uma entrada lateral só para quem vai ao restaurante. Basta subir o elevador e se embasbacar com a vista linda e com a comida deliciosa. Fica no Marais.
  • Maison de La Truffe: Esse restaurante é um clássico para os amantes da trufa. Da primeira vez que fui a Paris não tive a oportunidade de experimentar, mas dessa vez não pensei duas vezes: reservei um jantar por lá e me deliciei com todos os pratos servidos com trufas. De entrada o Carpaccio estava de comer rezando. Para principal o risoto de trufas negras foi a sensação. Fui no que fica na Opera. Mas tem mais de uma filial na cidade.
  • L´Atelier Joel Rebuchon: Esse restaurante é daqueles que você só vai incluir na sua lista se você quiser comer em um restaurante bem bacana, estrelado, de um chef super famoso… a comida é surreal, obvio, mas é um restaurante caro e muito dificil de conseguir fazer reserva. Minha dica é, ligue com antecedência ou faça pelo site. O a la carte dele não é tão caro assim e vale se você quer ter a experiência de comer em um restaurante como esse. Fica em Saint Germain.
  • Giraffe Paris: O restaurante do momento na cidade. Caiu na boca do povo porque ele tem a vista mais linda da Torre Eiffel. Minha dica: reserve pelo site com MUITA antecedência e peça uma mesa do lado de fora. A comida não impressiona mas a vista vale pelo restaurante. Fica no Trocadero.
  • Le Recamier: O restaurante dos suflês. Fica em Saint Germain pertinho da Grand Epicerie e do Bon Marché. Peça o sufle para o almoço é super gostoso.
  • L´Avenue: É o restaurante mais tradicional de Paris. Fica ao lado da Champs Elysee na Avenue Montaigne. O prato clássico é o steak frites, o famoso bife com batata frita. É um dos restaurantes mais badalados da cidade. Precisa de reserva se você não quiser ficar na fila.
  • Lou Lou: O restaurante mais fofo da cidade. Ele fica nos Jardim de Tuilerie e em um dia bonito de sol é a melhor pedida para comer em Paris. Pegue uma mesa do lado de fora e se delicie com a pizza trufada e com vista dos jardins e da Torre ao fundo.
  • Rue de Buci: Essa rua ficava pertinho do nosso apart em Saint Germain e acabamos jantando vários dias nos restaurantes dela. Todos muito gostosos e animadinhos… adoramos o clima desse lugar. Recomendo que você vá pelo menos um dia e tente comer no Maison Sauvage ou no L´Atlas.
  • Berthillon: Ah! Não podia deixar de falar do mais famoso sorvete de Paris. Hoje ele é vendido em diversos restaurantes, mas a sorveteria tradicional fica na Ile de la Cité e vale a visita.

Obviamente que além desses restaurantes tem outras milhares de opções. Aqui foram algumas que eu selecionei, visitei, gostei e recomendo pra vocês.

ROTEIRO DIA A DIA

Pensei muito em como passar isso pra vocês, mas na verdade, acho que o que fazer depende muito de muitas coisas: se é a sua primeita visita a cidade, se você está em casal, amigos, sozinho ou com família, se tem crianças, se gosta de museus, se tem mais ou menos dias… então, resolvi que vou colocar pra vocês exatamente o que eu fiz. Com direto a anotações de coisas que eu poderia ter feito diferentes, coisas que eu acertei na mosca e outros detalhes.

Mas antes deixa eu situar vocês que leram esse post até aqui e estão atrás dessas dicas: essa não é a minha primeira viagem para Paris. Já visitei Paris há muitos anos atrás com o meu marido, na época fiquei 5 dias inteiros e conheci bem os principais pontos turísticos da cidade. Dessa vez ficamos mais tempo, estávamos com a Victoria (de 2 anos) e o foco era rever alguns dos nossos lugares favoritos, misturando com programas para a Vic e curtindo a cidade com calma. Sem pressa. Não fomos a nenhum museu dessa vez por escolha nossa. Não fazemos questão, já tínhamos ido e não queríamos ir de novo. Então, o que vocês vão ver foram realmente os nossos passos por lá. Onde fomos, o que fizemos…

  • Dia 1

No primeiro dia focamos em passear nos lugares “próximos” ao apartamento que alugamos. Passamos no Jardim de Tuilerie, na pirâmide do Louvre, na Pont des Arts, Pont Neuf, Notre Dame, Berthillon, Pompidou (para almoçar no Georges), Place des Vosges e Marais. Foi delicioso!

O que eu fiz de “errado” nesse dia? Bom, inicialmente o plano era ir para Saint Germain, por isso, atravessamos as pontes. Mas desistimos no meio do caminho e resolvemos almoçar no Georges. Por isso atravessamos as pontes e depois voltamos. Pro seu roteiro ficar redondinho nesse dia, recomendo você fazer o caminho inverso. Pirâmide, Tuileries, Rue de Rivoli até o Pompidou.

Acompanhe como foi o nosso dia clicando aqui e vendo os destaques dos stories do instagram.

Dia 2

Nesse dia resolvemos passear pelos lados da Champs Elysee e ir andando até o Jardin d´Acclimatacion. Começamos pela Place Vendôme, Rue Saint Honoré, Madeleine, Place de la Concorde (que estava sem a roda gigante, infelizmente), Champs Elysée, Arco do Triunfo e Jardin d´Acclimatacion.

Se você não está com criança, ainda assim pode seguir esse roteiro. Coladinho no Jardin d´Acclimatacion está a Fundação Louis Vuitton. Ou seja, se você quer conhece-la, essa pode ser uma boa oportunidade.

O que fiz de errado aqui? Andei do Arco do Triunfo até o Jardin d´Acclimatacion. Não precisava nem um pouco fazer isso. Foi uma distância grande, sem nada para ver (essa parte da cidade nem bonita é) e ainda meio sem placas, ficamos um pouco perdidos. Teria valido mais a pena pegar um metro no Arco do Triunfo direto para lá. Ah! Voltei de metrô na hora do rush, também não valeu a pena. Um uber aqui cairia muito bem. O trem estava lotado e entrar com carrinho foi perrengue.

Acompanhe como foi o nosso dia clicando aqui e vendo os destaques dos stories do instagram.

Dia 3

Sabe um dia que você acerta na mosca? Foi esse! O roteiro ficou redondinho e perfeito. Saímos do nosso apartamento em direção a Saint Germain. Nossa primeira parada foram os café literários de Paris: Café de Flore e Les Deux Margots. Depois, paramos na Citypharma (a famosa farmácia lotada de brasileiros dita como a mais barata da cidade). Almoçamos no Ralphs, e seguimos por Saint Germain, para conhecer o Le Bon Marché, Grand Epicerie e a Igreja da Medalha Milagrosa. De lá seguimos para o Jardim de Luxemburgo (com criança ou sem, separe um tempo para curtir esse lugar lindo!), passeamos pelo Quartier Latin, Pantheon e terminamos o dia passenado pelo “calçadão” do Rio Sena num quase pôr do Sol. Foi incrível!

Não acho que erramos nesse dia. Foi um tiro certeiro. Uma outra sugestão para vocês é: se não quiserem comer no Ralphs, podem ir no Recamier ou almoçar no subsolo da Grand Epicerie. Também são ótimas pedidas.

Acompanhe como foi o nosso dia clicando aqui e vendo os destaques dos stories do instagram.

Dia 4

Esse foi um dia mais leve e curtinho. Fomos de manhã para Montmartre e resolvemos passear por lá. Começamos pelo famoso Moulin Rouge e seguimos para o café aonde Amelie Poulin trabalhava no filme. De lá passamos no muro do “eu te amo” e logo começamos a subir para comer em um restaurantinho com vista linda de Paris. Depois passeamos mais um pouquinho pelas ruelas do bairro, sobe e desce de ladeira até chegar na igreja de fato. Por último, passamos no carrossel e seguimos para casa. Descansamos um pouco e preparamos o nosso picnic. Por volta das 17h30 fomos para o Champs de Mars para fazer um picnic e ver o pôr do sol na Torre Eiffel. M A R A V I L H O S O ! Uma das melhores experiências dessa viagem. Amamos!

Bom, coloquei o roteirinho exato de 4 dias que passei por lá. Acho que aqui você já cobre uma boa parte da cidade e dos principais pontos turísticos que não incluem museus. Mais abaixo vou colocar uma lista de tudo que você pode/deve/vai querer fazer em Paris na sua primeira visita. Acho que ela pode te ajudar a incrementar esses dias ai em cima.

O QUE FAZER EM PARIS

A pergunta que não quer calar, mas o que tem pra fazer em Paris? Bom, certamente você já sabe que tem MUITA coisa né? Então, vou fazer uma pequena lista com alguns dos pontos mais importantes para você ver na sua primeira visita a cidade, ou para você rever se já esteve em Paris outras vezes.

MUSEUS

  • Louvre (esse tour guiado com “fura fila” é maravilhoso!)
  • D´Orsay
  • Pompidou
  • Rodin
  • Petit e Grand Palais (veja se a exposição te interessa)
  • Museu das Armas (onde está o mausoléu de Napoleão)
  • Museu de L´Orangerie
  • Fundação Louis Vuitton
  • Catacombes de Paris

PRAÇAS E JARDINS

  • Jardin de Tuileries
  • Jardim de Luxemburgo
  • Place des Vosges
  • Place de La Concorde
  • Champs de Mars

MONUMENTOS

  • Torre Eiffel
  • Arco do Triunfo
  • Pont Neuf
  • Madeleine
  • Pont des Arts
  • Torre de Monparnasse (não é exatamente um monumento, porém é uma vista bonita da cidade)
  • Pont Alexandre III

IGREJAS

  • Notre Dame
  • Montmartre
  • Igreja da Medalha Milagrosa

Tem muito mais coisa que isso? Claro que sim. Isso é apenas um guia rápido e curto para você se orientar e tentar organizar a sua viagem da melhor forma para você e para sua família. Achou alguma coisa que não está aqui e considera imperdível. Me conta aqui nos comentários. Posso ter esquecido ou pior, posso nem conhecer. Desculpa perfeita pra voltar né?

PARIS COM CRIANÇAS

Ahhhhh Paris, como você me surpreendeu no quesito “destino para ir com crianças”. Foi MUITO melhor do que eu esperava. Claro que a cidade tem problemas e está longe de ser perfeita. Mas se é um destino pra crianças? Te garanto que sim. Se você vai com os pequenos, anota ai alguns programas que não podem ficar de fora da sua lista.

Picnic na Torre Eiffel: Foi o segundo programa que a Vic mais amou fazer na cidade. Competir com o Mickey é dificil né? Ela amou todo o processo de ir no mercado fazer as compras, preparar a toalha de frente para a Torre, comer “no chão”, soltar bolinhas de sabão e correr solta por ali. O auge (pra ela e pra gente) foi o momento em que a Torre começou a piscar. Ela amou, ficou encantada. Fala disso até hoje. Um programa fácil e barato de fazer na cidade.

Jardin D´Acclimatation: É um parque de diversões pra todas as idades. Desde os pequenininhos até os maiores. Ele fica coladinho na Fundação Louis Vuitton e é outro programa imperdível. Você compra os ingressos avulsos e vai usando conforme quiser ir nos brinquedos. A melhor dica aqui é: vá durante a semana. Nós fomos e estava tão vazio que parecia um parque fantasma. Nos finais de semana costuma encher e ter filas nos brinquedos. Dica 2: Se estiver calor, leve roupa de banho para seus pequenos. Tem uma área de água deliciosa lá. Site oficial. (Metrô: Linha 1 – Estação : “Les Sablons” )

Cité des Enfants: A Cité des Enfants fica dentro da Cites des Sciences et de L´Industrie, no Parque Villete. Fica um pouco distante do centro turístico de Paris mas nada que você não consiga chegar de uber ou metrô. A ideia aqui é experimentar e viver a ciência. A cidade das crianças é dividida em faixa etária para os bebês até 2 anos, dos 2 aos 7 anos e dos 5 aos 12 anos. Cada faixa etária tem uma gama de atividades para fazer e brincar. É demais. Você pode ficar 1h30 dentro da “cidade” e seu filho pode brincar a vontade.

Além disso, na cidade da ciência e da indústria, você encontra outras atividades e exposições bacanas para as crianças. Quando fomos, estava tendo uma mostra de cabanas que a Vic amou. Além disso, nosso ingresso dava direito a ir ao planetário. A dica aqui é: compre seus ingressos com antecedência pelo site. Tudo lá tem hora marcada e você corre o risco de não ter ingressos para a hora que você estiver lá. Dependendo das exposições, você pode ficar o dia inteiro por lá. Organize-se. Eu cheguei umas 11h e sai umas 15h, mas teria ficado mais tempo tranquilamente. Site Oficial. (Metrô linha 5 estação Porte de Pantin ou linha 7 estação Porte de la Villette).

Na exposição de Cabanas
Uma das salas de brincar

Ludo Jardin, o playground do Jardim de Luxemburgo: Paris tem milhares de parquinhos, um mais legal que o outro. Em cada pracinha um parquinho diferente. Mas esse nos encantou. É um parquinho super novinho, que foi totalmente renovado e reinaugurado no meio desse ano (2019). Tem brinquedos diferenciados e legais para todas as idades. Ah! Esse é um parquinho pago. Se eu não me engano algo em torno de 2 euros por adulto. Vale a visita.

Jardim de Luxemburgo: Por lá ainda tem muita programação para você fazer em família. Um dos carrosséis mais antigos da cidade fica coladinho no parquinho. Se quiser, pode “pilotar” barquinho num dos lagos principais do jardim ou ainda assistir a um dos teatrinhos infantis de marionete super tradicionais em Paris.

Parquinhos: Sem querer ser repetitiva mas já sendo, Paris é o paraíso dos parquinhos. Tem parquinho por todos os lados. Em cada pracinha um parquinho diferente e incrível para experimentar. Viajar com criança é isso. Ir parando, mesclando atividades “adultas” e parquinhos. Elas amam, e você vai amar também.

Carrosséis: São muitos espalhados pela cidade. Em Paris mesmo acabamos indo apenas no de Montmartre por que os da Torre Eiffel estavam lotados e os outros não despertaram tanto o interesse da Vic (ou nós conseguimos escapar).


Disneyland Paris: Não posso passar esse tópico sem citar a famosa Eurodisney. Nós levamos a Vic e foi um sonho. Ela amou num grau que não dá pra explicar. Mas esse é um capitulo a parte e vou falar sobre ele em um post separado. Em breve posto o link aqui. Para comprar os ingressos, clique aqui. (RER linha A: Estação Marne-la-Vallée/Chessy)

Além disso, tem algumas outras coisas que eu não fiz e que as crianças costumam amar:

PARIS COMBINA COM…

Uma viagem a Paris pode ser combinada de infinitas maneiras, afinal, na Europa é tudo tão pertinho que você não vai ter problema de casar sua visita a Paris com outros destinos.

Se você estiver sem ideias, veja aqui no mapa ou nos destinos alguns posts de viagens pela Europa que eu já fiz. Tem Croácia, Rússia, Islândia, Espanha, Hungria, Grécia, Alemanha, Escócia, Irlanda, Inglaterra e muito mais.

——————-

Bom, acho que agora vocês já estão super munidos de boas dicas e informações práticas para conhecer a capital francesa e se encantar com a comida, com a arquitetura, com a beleza e com o charme de lá.

Combinei essa viagem com uma viagem para o Vale do Loire e todas as dicas estão nesse link.

Espero que as dicas tenham ajudado vocês de alguma forma, e que vocês curtam e compartilhem muito esse post com amigos e pessoas que vão para Paris. Afinal, dica boa é dica compartilhada! =) Boa viagem.

Se esse post te ajudou de alguma forma eu fico muito feliz em saber! =) Se você quiser retribuir a ajuda, basta reservar seus hotéis por esse link, comprar seu seguro saúde internacional por esse link, alugar seu carro por esse link e comprar seu chip internacional nesse link. Todas essas empresas são parceiras do blog e são empresas que eu uso nas minhas viagens. São empresas de absoluta confiança. Fazendo isso você gera uma pequena comissão para nós e não gasta nada a mais com isso. Essa é uma forma de remunerar o meu trabalho para que eu possa continuar conseguindo fazer posts completos, dicas e informação para vocês sempre. MUITO OBRIGADA!

Viajamos em setembro de 2019. Vic tinha 2 anos e 2 meses.

Deixe seu Comentário
Voltar para a Home